Sudoeste Coreia – Parte 3 – Yeosu

Hoje é dia de Expo!!

Acontece desde o começo do ano e terminou agora em Agosto a Expo 2012 de Yeosu.
Essa exposição acontece a cada ano em um lugar diferente do mundo atraves de votação e a cada ano engloba um tema diferente referente a preservação do Meio Ambiente.

O tema desse ano: “O Oceano Vivo e Costa: Diversidade de Recursos e Desenvolvimento Sustentável”, trouxe atraves de diversos tipos de pavilhões, exposições, shows, palestras, etc, mostrar e informar o que está sendo e o que deve ser feito com o avanço da tecnologia para identificar meios de preservar, prevenir e resolver problemas referente aos oceanos, suas vidas marinhas e a interação com o meio ambiente e com os seres humanos.

Ok, falei a parte bonita do negócio, agora vamos a realidade.

Desde que chegamos aqui na Coreia, ouvimos muito falar dessa Expo. Propagandas e excursões por todos os lados, davam a impressão de algo magnifico!

Chegando lá, realmente impressiona, o local é gigantesco, predios e pavilhões e atrações mil e ainda por cima, bem do lado do mar, a vista é linda!!!!

Uma parte começou legal, como ao contrário de muitos lugares, na Coreia eles estão em busca de maior relacionamento e entrada de estrangeiros no país, tudo o que é para NÃO Coreanos é mais barato ou até de graça.
Então ao inves de pagarmos 33.000 wons, pagamos apenas 3.000 e ainda não pegamos a fila gigantescaaaaa para entrar.

Maas, olhando para dentro, a gente já começa a se desesperar, filas e filas e gigantescas filas para todos os lados!!! Arrisco dizer que nem na Disney em pleno Julho vi tantas filas e tanta gente juntas em um só local!!!

Ok tinha muitas atrações interessantes, tinha um Aquário enorme que era a grande atração do lugar, mas na boa… 3 horas para entrar num aquário??? Já vi muito peixe na minha vida, obrigada!!!

Isso se o problema fosse só a fila. Lembra do calor infernal??? Multiplica por infinito!!!!
Até sombrinha para nos proteger do sol (muuuito comum por aqui) estavamos cogitando comprar!!

Aqui eu não tenho certeza se é através da lua que eles sabem (ou inventam) os 3 dias mais quentes do ano, principalmente para comer um prato mais quente ainda, uma sopa com um frango recheado dentro (pois aqui calor se combate com calor), mas desses 3 dias mais quentes do ano… hoje foi um deles!!!!

Junta lugar aberto, filas de 3 horas para qualquer das atrações, humidade absurda, um dos dias mais quentes do ano, céu aberto e um sol de rachar… me desculpe, mas por mais legal que seja o local, dificil realmente curtir direito!!!

Minha visão geral da Expo foi: ok, o tema interessante, mas das poucas exposições que consegui entrar, não vi nada realmente efetivo, só pequenas demonstrações sobre o que cada país está fazendo a respeito de preservação marinha.
Porém as apresentações dentro de cada sala, apesar de algumas até serem legais, realmente não vale a pena 2 horas de fila.
Além de pavilhões com salas de cada país, tinham pavilhões de empresas.

Claro que dei um jeito de entrar no Pavilhão da Samsung (não sei pq.. rss). O show foi lindo, era uma projeção fantástica, as imagens eram super bem definidas e bonitas e ainda tinha interação com atores fazendo acrobacias – Maaaas não vale as 3 horas de fila!!!!! (No calor, debaixo do sol escaldante).

Agora imagina, nós chegamos lá por volta de 11h da manhã e tinhamos que nos reunir para ir embora as 14h30.
3h30 para conhecer tudo e ainda almoçar??. Lógico que não vimos praticamente nada!!!

Valeu apenas para ter uma real noção sobre a tal da Expo que taanto falavam.

Agora todos reunidos, partiu Suncheon, esse passeio sim, valeu a pena, mas vou deixar para o próximo post.

Beijos a todos!!!

PS: As fotos desse post vou deixar para depois pois estou postando do celular.
Mas para quem quiser, tem um álbum no meu facebook, com várias fotos legais dessa viagem!!

image

Única foto com o celular da Expo. Pavilhão Internacional, Salão da Thailandia.

Anúncios

Sudoeste Coreia – Parte 2 – Jeonju

Ainda dia 1, continuando minha viagem pela Coreia.

Depois de Buyeo, continuamos indo para o Sul e chegamos na Cidade de Jeonju.

A cidade de Jeonju é muita rica de história, já foi capital de Baekje, é berço da dinastia Joseon e é o local para se ter as mais ricas experiencias em Cultura Tradicional da Coreia.

A cidade é conhecida por sua alta qualidade culinária, principalmente por um dos pratos mais tradicionais da culinária Coreana, o Bibimbap (비빔밥), que é um prato servido quente ou frio, numa grande tigela, com arroz, muita variedade de vegetais e pasta de pimenta. Geralmente um ovo cru e alguns pedaços de carne também fazem parte do prato. Lógico que também dispenso..rsss

Essa foto foi a mais bonita que eu achei. Se eu colocar as outras que eu vi na internet, vocês darão razão a mim!!!

Jeonju também é conhecido pelo Makgeolli, Vinho de Arroz Coreano.

A bebida é feita da fermentação de arroz, farinha e água, o que dá um aspecto leitoso. Os primeiros apreciadores foram fazendeiros, tanto que era inicialmente conhecido como nongju (농주) ou ‘Bebida de Fazendeiro’. Atualmente se tornou muito popular nas grandes cidades, especialmente entre os jovens (Talvez por, primeiro ser uma bebida barata e outra, você bebe um monte e não sente nada, mas a hora que vai ver…. já foi!) Eu particularmente ainda não consegui gostar disso. Prefiro Soju (cachaça de arroz) mil vezes!!!

Parece um leitinho, que você toma numa combuquinha e que não sobe nada… Toma umas duas tigelinhas dessa, para você ver o efeito!!!

Mas Jeonju, além de tudo isso, é principalmente conhecida pela sua Hanok Village, que nada mais é que a vila onde eles preservam casas antigas e tradicionais da Cultura Coreana.

Nessa vila, são 700 casas tradicionais e preservadas, ainda moram e trabalham diversas famílias Coreanas. Entre ter aulas de Hanji, aulas sobre cultura e tradições, aprender a famosa Cerimonia do Chá (algo muito importante e cheio de significados), é possível ver a rotina das pessoas nessas vilas, seus trabalhos, suas artes.
Para os mais interessados parece que há até um programa oferecido pela prefeitura da cidade, onde você pode passar um noite nessas casas.

Para admirar, só beleza!
As casas são bem baixinhas, todas iguais, feitas de base de pedra, estrutura de madeira e telhas cinza escuro, com desenhos em suas pontas.




Na cultura Coreana, tudo se faz no chão, dormir, sentar, jogar, trabalhar, almoçar, jantar… Por isso é tão importante sempre tirarmos os sapatos antes de entrar em qualquer lugar, pois assim não trazemos as sujeiras da rua.

Achou o teu sapato??


Para se manterem aquecidos, especialmente no inverno que por aqui é realmente rigoroso, eles usam uma técnica chamada Ondol, que é um aquecimento por debaixo do piso, feito através da transferência direta do calor da fumaça da madeira para debaixo de um fino piso de alvenaria.

Lógico que nos dias de hoje o método de aquecimento foi modificado e atualizado, mas esse estilo de quarto é muito normal por aqui, tanto que existem muitos hotéis com quartos “Korean Style”, que eles dão o nome de “Quartos Ondol”, que é o quarto, sem cama! E no armário ficam guardados mantas, travesseiros e uns colchões bem fininhos para dormir… no Chão!

Interessou???

Continuando… nessa vila no meio das casas, museu de Makgeolli e até uma área cheia de lojinhas para vender os produtos produzidos por eles, chegamos num espaço onde eles fazem o Hanji, o Papel artesanal Coreano, que é tão utilizado para fazer todos os tipos de artes, desde pequenos objetos, caixinhas enfeitadas, até luminárias, mesas, armários, escultura de bonecos… tudo!
Esse papel é feito da casca interna de uma árvore chamada ‘Paper Mulberry’ uma árvore nativa da Coreia e que sobrevive melhor em regiões mais montanhosas.

Lá na Vila é possível ver a produção artesanal do papel e especialmente um dos últimos processos que é a secagem das folhas. Duas senhoras em frente a uma grande mesa/chapa aquecida, iam retirando as folhas molhadas e iam colocando nessa mesa para o papel secar e, creio eu, já pronto para o uso.

Produção


Secagem das folhas


Montando as peças


Trabalho Final: Lanternas


Trabalho Final: Móveis


Trabalho Final: Boneca

Logo do lado da Village, há um grande parque chamado Gyeonggijeon.

Foi originariamente construído em 1410, mas alguns prédios datam de 1614. O fundador da dinastia Joseon, o Rei Yi Seong-gye, teve seu retrato pintado nesse parque, uma enorme imagem dele sentado num grande trono vermelho, com três dragões dourados pintados em seu robe azul. Como tradição, todos os Reis que o sucederam, também tiveram seus retratos feitos nesse parque.


Pintura do Rei Yi Seong-gye

Exatamente na frente do parque, atravessando a rua fica a Jeondong Catholic Church.

Quando os missionários católicos vieram pela primeira vez para a Coréia no final do século 18, muitos foram martirizados aqui. As primeiras mortes ocorreram em 1791, e o padre Xavier Baudounet honrou esses sacrifícios, erguendo em 1914 essa linda igreja com estilos Bizantino/ Romântico. Diz-se que a Pedra Fundamental da igreja era onde a cabeça de um dos primeiros mártires foi enforcado.

O legal de ter visitado essa igreja é que, como minha vózinha querida, como posso dizer, é uma fervorosa Católica, foi muito bom ter ido, conhecido, rezado e especialmente ter pensado nela e enviado foto com dedicatória especial (Minha avó é moderna, ok?! Ela está no Facebook sim! rsss). Só depois fui ver que justo aquele dia era dia dos avós. Fiquei feliz com essa coincidência.


Quem disse que aqui do outro lado do mundo não tem Cristo Redentor???


Achei tudo muito bonito e agradável em Jeonju, com certeza aproveitarei que essa mesma empresa que faz esse tour, também disponibiliza FREE, para estrangeiros, ônibus de Seoul para Jeonju! Com certeza voltarei com o André aqui, mas definitivamente no Outono!!!!

Fim do dia… Estávamos exaaaaustos, isso pq ainda é Dia 1… Calor e muito lugar para andar, definitivamente não combinam!!

Depois do medo de essa história de “Ganhar uma viagem” não ter sido uma furada, o ônibus ter sido muito bom (as minhas ‘pequenas e curtas’ pernas agradeceram profundamente os quase um metro de distância entre as poltronas), chegou a hora de ver as condições do Hotel.

Será que iriam nos colocar em “Ondol Rooms”, será que não ia ser uns lugares que vc fica com mega nojo até de sentar??? Não!!
O hotel era ótimo!! Simples, uma cama gostosa, ar-condicionado, secador, tudo bonitinho!! Ainda para ajudar ficava no meio de umas ruazinhas de comercio local, então de noite, ainda demos uma volta, fomos jantar e ter um bom sono dos justos.

Pq o calor não vai melhorar, o sol não vai sair de lá, mas nós ainda temos mais dois dias de viagem pela frente.

Beijos e até o próximo post!!!

Sudoeste Coreia – Parte 1 – Buyeo

Oi pessoal, td bem??

Mil desculpas pelo sumiço!! Foi uma mistura de um pouco de falta de inspiração, um pouco falta de tempo e ok, também um pouco de relapso da minha parte, mas não tem problema pois já estou aqui de volta para contar muitas novidades!!
Queria também aproveitar para agradecer especialmente o pessoal de Curitiba que tem falado com minha mãe e contado que tem acompanhado meu blog e estão ansiosos por novos posts! Muito obrigada mesmo!! Fico muito feliz que estão gostando!!

Enfim, quem está acompanhando meu facebook, sabe que no final de julho fui fazer uma viagem pelo Sul da Coreia – De Graça!!!!!

Pois é, sabendo usar o facebook, ele até pode te trazer ótimas surpresas!!!

Essa viagem caiu no meu colo muito rápido! Um dia publicaram na Comunidade de Brasileiros na Coreia sobre um K-Shuttle que estavam sorteando algumas viagens para estrangeiros.
Sai correndo, me cadastrei e dois dias depois me ligam falando que fui uma das escolhidas para a viagem e em dois dias estaria embarcando!!

Apesar daquela apreensão básica de Brasileiros tipo, será que é verdade, será que é sério, será que eu não vou cair nuns buracos, será seguro… bem eu fui!

Chegando no local do embarque, até que foi bem interessante! Descobri que essa linha/empresa estava inaugurando o serviço de viagens de turismo exclusivamente para estrangeiros e essa seria a primeira viagem!!

Então tinha faixa, discurso, inauguração do ônibus, foto oficial.

Quando estavamos saindo com o ônibus, ainda tivemos direto a uma fila de executivos engravatados da empresa dando tchauzinho para gente, um monte de gente soltando balões.. uau!! Muito legal e ao mesmo tempo muito engraçado também!!

Todos devidamente prontos, partiu viagem!!

Foram 3 dias e 5 cidades.

Primeira parada Buyeo, fica mais ou menos a 2h ao Sul de Seoul.

É uma cidade Histórica e conhecida por ser a Capital do Reino Baekje, que foi um dos 3 Grandes Reinos que iniciaram a história da Coréia, ao lado dos Reinos de Goguryeo e Silla.

Começamos visitando o Baekje Cultural Land.

Como a maioria dos Palácios na Coreia, foram fortemente destruídos pela ocupação Japonesa e aos poucos foram reconstruídos e reformados. A reconstrução desse é relativamente nova, de 1994.

A Arquitetura é basicamente a mesma, estruturas de madeira, base de pedra, um ou dois grandes portões, pintura bem detalhada e colorida, muitos desenhos e detalhes de flores e animais, tanto nos tetos como nas escadas e o Trono do Rei, no prédio principal fica numa posição estrategicamente perfeita para ter a visão do lado de fora do Palácio.


Para chegar ao Trono, sempre há um caminho exclusivo do Rei que liga a entrada ao prédio do trono e o desse palácio é muito bonito.
Nos outros palácios que visitei aqui em Seoul esse caminho é sempre de pedra normal. As pedras do Palácio Baekje são todas esculpidas com dragões e flores que vão formando os desenhos, um encaixado no outro. O Dragão Simboliza o Rei, então nesse caminho até o Palácio principal, só caminha o Rei. As outras pessoas andam pelas laterais.


Detalhe do piso com os desenhos de Dragões e Flores de Lótus

Os Palácios geralmente são formado por vários conjuntos de prédios. Uns para cozinhar, uns para jogar, para trabalhar, outros para rezar, outros para dormitório, uma ala feminina outra masculina, uma da parte mais nobre da realeza e outras áreas para membros de menor escalão e por ai vai.

Visão Geral da Parte Principal e do prédio onde fica o Trono do Rei

Apesar de parecer que a gente está sempre vendo a mesma coisa, acho legal conhecer, aprender um pouco de cada local, sem contar que tudo é muito bonito, os detalhes são maravilhosos e sempre tem uma ou outra coisa diferente e interessante.

Nesse palácio também tem um pagode de cinco andares feito todo de madeira que foi construído pelo Rei Chang de Baekje em 567. Neunga é um templo real para orar pelo repouso da alma do Rei Seong.
Realmente impressiona, tanto pelo tamanho, como por toda a estrutura e detalhes.
E pensar que eles faziam essas estruturas séculos atrás sem nenhum prego, cimento ou máquinas tecnológicas de construção. Fantástico.



É só bater para levar seu estresse junto – Lógico que bati e bem forte de preferência!!!

Depois, Hora do Almoço – Que hora mais torturante!!!

Tenho que lembra-los que estava no interior do país e lá não tem a imensa variedade de restaurantes Internacionais que encontro em Seoul. E claro, para quem me conhece bem, sabe que eu tenho um pouco, vamos dizer, problemas com comida. E para encarar as gororobas Coreanas tem que ser muito forte, ou estar com o paladar acostumado, coisas que definitivamente eu não tenho.

Nessa excursão tirando o imenso grupo de Chineses e Vietnamitas que praticamente não falavam nada em inglês, estávamos em 7 ocidentais, um menino e uma menina Americanos, um Francês, um Etíope, um cara da Geórgia, eu e uma Brasileira filha de Coreanos.
Quando chegamos no restaurante, todos numa boa encarando as comidas e eu, primeiro sem entender absolutamente nada, sem conseguir ler nada e mesmo se lesse, também não ia saber o que era cada comida.
Por sorte a Daiana, Brasileira já fala um bom Coreano e os meninos que estão aqui fazendo Mestrado também conseguem falar alguma coisa. Já eu, ainda to querendo chorar desesperadamente toda vez que vou para minha aula…. Enfim, consegui com muito esforço saber que eles tem um prato que se chama: Samgyeopsal ou 삼겹살, que nada mais é que um Churrasco Coreano.

Momento informação, extraída do Wikipedia: “O sentido literal da palavra Samgyeopsal é: “Três (sam; 삼) camadas (gyeop; 겹) carne (sal;살),” fazendo referencia as três camadas que são visíveis na carne” (de porco).

E para esse prato, eles montam a grelha na mesa e trazem as fatias de carnes cruas. O gostoso é que são fatias cumpridas e bem finas, Lembra até um Bacon, mas não é!

Por falar em Bacon, outra coisa legal que a Daiana me ensinou é sobre a gordura da carne de Porco.
Que essa carne é mais saudável eu já sabia, o que eu não sabia é que o que parece ser uma camada de gordura nessa carne do Samgyeopsal e que de inicio eu estava tirando por achar que era gordura gorda, que faz mal, na realidade é uma gordura que faz bem. A gordura ruim eles tiram e como Coreanos tem por lema de vida fazer tudo o mais saudável possível essa gordura fica, se como e faz bem. Existe até um prato deles que é feito tipo de um ensopado com essa gordura.

Voltando…
Dai você frita essas tiras de carne na grelha e a parte legal, que posso falar, estou pensando em usar essa ideia no Brasil – Eles cortam a comida com TESOURA. Parece estranho, mas depois que você começa a fazer, percebe que é muito mais prático e fácil do que ficar se matando em ficar serrando mil pedaços de carne com garfo e faca!!

Enfim… dai é só pegar um pedaço de carne, colocar numa folha de alface, se quiser junto com mais os quinhentos pratinhos de gororobas que vem de acompanhamento, e Voilá!

É ….. pois é… eu pedi um potinho de Bap 밥, arroz, para acompanhar meus pedacinhos de carne e deixei os milhões de acompanhamentos para as outras pessoas da mesa. Pelo menos comi com os Sujeos, o Hashi (pauzinhos) de metal que se usa aqui na Coreia, (wikipedia, bombando aqui hoje, minha gente!!! rsss) e sai feliz da vida que comi uma comida comível num restaurante Coreano!! \o/

Daiana, Mirza da Geórgia e Mati da Etiópia, e eu, que sobrevivi ao meu primeiro Restaurante Coreano

Então, mal comecei o dia! Ainda tem a segunda parte do Passeio em Buyeo!

Fomos para um Forte Busosanseong Fortress

Esse Forte foi um dos maiores para defender a Capital do Reino de Baekje. Acredita-se que o Forte foi construído antes do Reino de Baekje mudar sua capital para Buyeo em 538. O forte é todo construído em lama no pico do Monte Busosan. Seu tamanho completo tem por volta de 2.5 Km.

Até ai tudo bem, um monte muito bonito, com vários lugares pelo meio para conhecer, paisagens encantadoras, caminhos tipo trilha de Hiking… se não fosse duas coisas: Eu estava de sapatilha e o calor estava algo descomunalmente absurdo!

Desde que cheguei na Coreia tá quente, muito quente, muito abafado, muita umidade, mas geralmente o tempo muito fechado com bastantes nuvens. Justo no dia que fomos viajar a Sol resolveu aparecer e nunca mais ir embora! Nunca fiquei tão apavorada de ver Sol, nem quando fiquei com várias queimaduras num Reveillon em Búzios!! Quando abro a janela e vejo Sol tenho vontade de chorar!!! Sem exagero!

Então pensem no conjunto – Calor sufocante, Céu de Brigadeiro, umidade insuportável, caminhada pesada para cima e para baixo – Free Sauna Baby!!!

Mas vamos aproveitar que o lugar era muito bonito. Quem sabe no Outono e com sapatos apropriados eu não volte e tente desfrutar melhor do lugar!

No ponto mais alto fica a Nakhwaan Rock

De acordo com “A Memorabilia dos Três Reinos” um grande número de mulheres Baekjes se jogaram desse penhasco quando a Aliança Silla-Tang, invadiu Baekje em 660 para preservarem sua virgindade. O nome dessa pedra Nakhwaan Rock literalmente significa “O Penhasco das Flores Caindo” e simboliza as mulheres Baekje. O Penhasco fica a 60m de altura e ainda é vermelho, como se mostrasse os sofrimentos daqueles tempos.


Lá embaixo, no Rio Baengmagang, eles fazem um Tour num barco temático chamado Hwangpodotbae, mas que acabamos não fazendo. Do barco é possível ver o Penhasco de frente, melhor e com todos os detalhes e beleza.

Esse lugar, não creio que seja o forte todo, mas talvez algum ponto que servia de vigília, por ser num ponto bem alto. Não consegui reunir informações mais detalhas, sorry T.T, mas em compensação a vista de lá de cima é incrível!!!



Continuando a andar, mas agora descendo, chegamos no lugar que eu mais gostei, que foi o Templo Budista chamado Goransa

Ali era lindo, tinha muitas coisas interessantes e novas para aprender.

Logo na frente do Templo tinham várias telhas com várias coisas escritas em cada uma delas. Descobri que ali você escreve seu pedido que depois eles colocam essas telhas no próprio telhado do Templo.

O Resto de mim, conseguiu chegar até aqui!!


Telhas para fazer seu pedido


Dentro do Templo – Lugar para Meditação

Atrás do Templo tinha uma fonte de água Mineral chamada Gorancho, essa história é legal:

Gorancho é uma planta que é chamada assim pq nasce num morro atrás do Templo Goransa. A água, nasce num rio de pedras geladas e tem uma fonte nesse morro, no meio dessas plantas, atrás do templo. De acordo com a lenda, o Rei de Baekje gostava de tomar a água mineral do Templo de Goransa e ele enviava alguém todo dia para buscar a água. A pessoa enviada para buscar a água tinha que deixar boiando folhas de Gorancho para provar que a água era do Templo de Goransa.
A lenda diz que se você beber um copo dessa água você rejuvenescera 3 anos.

Bem, já que a lenda diz, bora beber um monte para ver se rejuvenesce um pouco mais que 3 né?!

E então, estou mais nova???

Logo do lado dessa fonte também tinha outra coisa interessante. Era um local com muitas pedras empilhadas e o objetivo é ir montando uma pedrinha na outra até fazer um montinho, enquanto, claro, faz a sua reza, seu pedido.

Já que está aqui, não custa nada levar um papo ali com o Buda, né?!

Infelizmente ainda conheço pouco da religião Budista, mas digo que é um tipo de religião que me agrada, ou atiça a curiosidade e a vontade de aprender um pouco mais.
Essas informações foi o pessoal que está aqui a mais tempo que acabou me ensinando, mas um dos meus “To Do’s” para fazer aqui na Coréia ainda é o que eles chama de Temple Stay, onde você vai para um Templo para passar o fim de semana e aprende um pouco de tudo.

Apesar de ter praticamente morrido derretida nesse passeio, foi realmente muito legal e muito bonito!!!

Depois de Buyeo nós ainda fomos para uma outra cidade chamada Jeonju, numa Hanok Village, que são as Casas Tradicionais Coreanas. Mas esse eu vou deixar para o próximo post, pq como vocês podem perceber, eu costumo escrever pouquinho..rsss

Tentarei postar o resto da viagem o mais breve possível!

Grandes Beijos a Todos!!!

PS: Para quem estiver interessado, tem muito mais fotos dessa viagem no meu álbum no Facebook.
PS2: Não sei se vocês sabem, mas se clicarem nas fotos, elas abrem bem maior e é melhor para visualizar os detalhes.